segunda-feira , 23 outubro 2017
Início / Avaliações / Avaliamos o Fiat Mobi Drive com motor 1.0 de três cilindros

Avaliamos o Fiat Mobi Drive com motor 1.0 de três cilindros

O subcompacto da Fiat equipado com o novo motor da família FireFly, com direção elétrica e sem tanquinho de combustível

Nesta semana estamos avaliando o novo Mobi Drive, versão intermediária qucom motor 1.0 de três cilindros Firefly.

À venda por R$ 39.870, a nova opção fica abaixo das configurações Like e Way, que mantiveram o antigo motor. Por fora, só o emblema na tampa traseira de vidro denuncia a nova opção, mas basta girar a chave de ignição para notar o ruído típico dos motores de três cilindros – algo mais metálico e agudo do que os quatro cilindros.

De acordo com o fabricante, o destaque fica por conta do consumo de combustível – a ponto de conquistar o título de 1.0 mais econômico do Brasil. Segundo os números do Inmetro para o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veículo, a versão Drive percorre 13,7 km/l na cidade e 16,1 km/l com gasolina – a futura opção Dualogic fez 14 km/h e 15,9 km/h, respectivamente. Com até 77 cv de potência e 10,9 kgfm de torque, o conjunto mecânico promete agilidade aos 945 kg do compacto, mas isso só se cumpre em partes.

A baixa rotações, situação mais comum no trânsito urbano, o Mobi Drive realmente está mais esperto do que as versões com motor de quatro cilindros, só que o basta elevar os giros para notar as limitações do novo propulsor.

Ponto positivo para a Fiat (e para o hatch) é que a promessa de economia se cumpriu durante o primeiro contato, com média de 15 km/l com gasolina no uso misto. Além disso, a direção elétrica não é anestesiada como em alguns modelos com esse tipo de assistência e tem bom peso – há também a função City, que reduz os esforços para manobras a baixas velocidades.

Conheça o Live On, a nova central multimídia do Fiat Mobi Drive

Outra funcionalidade do Fiat Mobi Drive com motor 1.0 de três cilindros na versão Drive, é o sistema Live On, de multimídia.  O equipamento toma como base o próprio celular do usuário, que se conecta ao Live On por meio do bluetooth e pode ser encaixado no suporte retrátil do painel. Para operar o sistema, é preciso instalar um aplicativo próprio (disponível para iOS e Android), o que também permite utilizar os comandos do volante e espelhar informações no quadro de instrumentos. Visualmente, a interface do menu principal remete aos já conhecidos Apple CarPlay e Android Auto, mas haverá funcionalidades exclusivas para a novidade da Fiat, como a opção “EcoDrive”, que avalia o motorista para incentivar uma condução mais eficiente, bem como o “Onde Parei?’”, que salva em um mapa o local no qual o carro foi desligado pela última vez. Não há comandos por voz, o que dificulta alguns processos – como iniciar uma ligação, por exemplo.

Entretanto, o Live On permite que o usuário padronize os aplicativos favoritos de GPS e streaming de música, inclusive com as populares opções Waze e Spotify. O WhatsApp ainda não está disponível, mas a marca não nega a possibilidade de uma adaptação futura. O sintonizador para rádios AM e FM está embutido no próprio veículo, o que dispensa o celular para funcionar – neste caso, os comandos são feitos pelo volante. Além disso, a qualquer momento é possível sair do aplicativo do Live On para acessar as demais funções do celular. Por enquanto, a “central multimídia” será oferecida apenas na versão Drive.

Sobre Nilton Saciotti

Além disso, verifique

FORD MUSTANG DE 1.400 CV FAZ SUBIDA RADICAL EM “CLIMBKHANA”

O esperado vídeo “Climbkhana”, do piloto Ken Block – astro da famosa série Gymkhana –, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code

*